Devo usar máscara ao praticar exercícios ao ar livre? Quais os riscos?

A recomendação atual é manter o isolamento social para conter o avanço da Covid-19 no país. Mas, quando for necessário sair de casa, para ir ao supermercado ou farmácia, por exemplo, usar uma máscara protege você e, principalmente, as pessoas ao seu redor, especialmente se você foi infectado pelo novo coronavírus.

Mas e quando o assunto é realizar exercícios ao ar livre, como correr, pedalar ou caminhar? Nesses casos, a recomendação e necessidade da máscara é menos clara. E, sim, mesmo com a quarentena, diversas instituições do mundo todo recomendam a prática nesse momento para preservar a saúde física e mental.

Segundo um comunicado da SBMEE (Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte), que está de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Ministério da Saúde (MSB), realizar exercício físico ao ar livre está recomendado, desde que não proibido por lei decretada pelo poder executivo, para determinada localidade ou região, e observando sempre os protocolos de prevenção amplamente conhecidos.

A SBMEE ressalta os cuidados para que o exercício seja feito de forma isolada (nunca em grupo), evitando aglomerações e contatos pessoais próximos, respeitando distância interpessoal adequada (pelo menos de um metro, segundo o MSB), além de manter os cuidados preconizados de etiqueta respiratória e de higiene, além de alertar do potencial risco que o praticante se expõe ao sair de casa para treinar, como ter maior chance de se aproximar de outras pessoas ou tocar em locais contaminados (botão do elevador, maçanetas, portões etc.).

Por isso, se você decidir realizar uma corrida socialmente distanciada, a necessidade de usar uma máscara facial depende ou não de onde você está. A posição do CDC (Centro de Controle de Doenças dos EUA) é que as máscaras são necessárias “sempre que as pessoas estão em um ambiente comunitário, especialmente em situações em que você pode estar perto de pessoas”, como “mercearias e farmácias”. Portanto, se você está correndo tranquilamente e com a distância recomendada, não é obrigatório o uso do acessório.

O uso de máscaras em práticas esportivas é mais um estímulo social. Em geral, exercícios ao ar livre, com ou sem máscara, parecem seguros, quando com as devidas precauções que citei acima. Exercitar-se faz bem para a saúde e o risco de transmissão mínimo, tanto para os outros, se um corredor estiver infectado, quanto para o corredor, se ele passar por pessoas infectadas.

O que pode acontecer quando você faz exercícios de máscaras

Redução no desempenho e dificuldade para respirar Fique atento aos sinais do seu corpo, pois as máscaras impedem a respiração. As pessoas que se exercitam com máscara facial podem sentir alguma resistência à respiração, dependendo da espessura do material. Por isso, se o treino parecer mais difícil que o normal, fique atento, pois a ventilação pode não estar adequada e, dessa forma, tente reduzir a intensidade do treino. Vale reforçar que, se a boca e o nariz estiverem totalmente cobertos, pode haver alguma limitação à ingestão de ar, o que pode aumentar o desconforto e atenuar o desempenho da corrida.

Perda da eficiência da máscara Com a prática esportiva, as máscaras tendem a ficar úmidas ou molhadas mais rapidamente e também não ficam fixas no rosto o tempo todo, se deslocando a medida que nos exercitamos. Dessa forma, a inspiração através de uma máscara ou tecido úmido, além de ser mais difícil do que quando seco, gera uma perda da eficiência antimicrobiana do acessório. Assim, as máscaras reutilizáveis trazem um pequeno risco de infecção de pele ao longo do tempo, principalmente quando não for feita a higiene necessária.

Aumento das secreções nasais O exercício com uma máscara facial criará um microclima quente e úmido ao redor do seu rosto. Com esse efeito, a máscara transforma a metade inferior do seu rosto em uma “mini-sauna”, levando a um acúmulo de suor sob a máscara e a um aumento das secreções nasais.

Existe alguma máscara apropriada para a prática esportiva?

  • Para o maior conforto durante exercícios extenuantes, você pode usar um acessório específico para a prática esportiva, que tem formato tubular e pode ser usado como bandana ou para cobrir o pescoço e ser esticado sobre o nariz e a boca. Esses acessórios geralmente são feitos de tecidos sintéticos finos projetados para reduzir o acúmulo de calor e, como são abertos na parte inferior, promovem mais fluxo de ar do que as máscaras cirúrgicas comuns. Mas, devido a esse design aberto, eles também apresentam menos barreira à saída ou influxo de germes do que as máscaras cirúrgicas ou seu equivalente caseiro.
  • As máscaras cirúrgicas podem bloquear os micróbios de maneira mais eficaz. Mas elas são quentes e ficam úmidas rapidamente durante os treinos. Isso pode fazer com que você retire o acessório no meio do treino, o que não só elimina o benefício da máscara, como aumenta o risco de tocar a boca e o nariz com a mão –o que deve ser sempre evitado.
  • O CDC recomenda o tipo de máscara de pano lavável para o uso diário —aprenda a fazer uma máscara de tecido em casa –, além de pedir para que a população evite comprar máscaras cirúrgicas ou N-95s, que os profissionais de saúde precisam para proteção adequada no trabalho. Deve-se prestar muita atenção ao tecido utilizado, já que, materiais que não são de algodão, em geral, não são ideais para máscaras caseiras; eles podem fazer você suar mais, umedecendo o tecido e, por sua vez, tornando-o mais poroso para a entrada de patógenos como o Sars-Cov-2.

Portanto, no final, talvez você precise consultar seu julgamento e consciência e talvez experimentar alguns tipos diferentes de máscaras e tecidos. Qualquer que seja a sua escolha, a melhor opção é manter a distância na prática esportiva. Fique a pelo menos um metro e oitenta de distância de quem você passa e desinfete suas mãos quando chegar em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *